1. Contacte-nos se precisar de algum esclarecimento.

Visita do deputado Luís Monteiro

No âmbito do programa Parlamento dos Jovens, uma iniciativa da Assembleia da República, dirigida aos alunos dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário, a nossa Escola teve a honra de receber, no dia 14 de janeiro, Luís Monteiro, deputado de Vila Nova de Gaia, eleito pelo círculo eleitoral do Porto. A sessão, dinamizada pelo coordenador do projeto, decorreu na biblioteca e contou com um público vasto, constituído por alunos, professores e assistentes operacionais. Estiveram, ainda, presentes Sílvia Vieira, presidente do Conselho Geral do Agrupamento de Escolas de Infante D. Pedro, e Rafael Baptista, vereador da Educação da Câmara Municipal de Penela.

De uma forma muito sintética, o coordenador do Parlamento dos Jovens começou por elucidar os presentes sobre os objetivos do programa, as participações da Escola Infante D. Pedro, nos últimos quatro anos letivos (com a presença dos deputados Maurício Marques, Fátima Ramos, José Manuel Pureza, Ana Mesquita e Ana Oliveira), bem como sobre o desenrolar das ações relativas à primeira fase do PJ deste ano, cujo tema é “Violência doméstica e no namoro: da sensibilização à ação!” (Constituição da Comissão Eleitoral Escolar, Constituição de listas, Campanha eleitoral, Debates, Eleições para deputados à Sessão Escolar e Realização da Sessão Escolar).

De seguida, o deputado Luís Monteiro debruçou-se sobre os atos de violência física, sexual, psicológica ou económica que ocorrem no seio da família ou do lar ou entre os atuais ou ex-cônjuges ou parceiros, quer o infrator partilhe ou tenha partilhado, ou não, o mesmo domicílio que a vítima. Assentou no pressuposto de que a violência doméstica e no namoro é baseada no género e que a vítima é maioritariamente do sexo feminino e o agressor do sexo masculino, por historicamente as mulheres terem sido mantidas numa posição de subordinação em relação aos homens. Assim, referindo ser indiscutível que se trata de um flagelo que vitimiza sobretudo mulheres, por razões históricas e culturais, considerou, também, que a violência doméstica atravessa todas as culturas, sociedades e classes sociais. Frisou, ainda, que estas situações têm lugar, sobretudo, em relações de intimidade (entre cônjuges ou ex-cônjuges e análogos e entre namorados).

A sessão terminou com o deputado a responder às questões da plateia, que se revelou particularmente interventiva atenta e interessada. O professor organizador considera que este debate de ideias foi francamente positivo, permitindo alargar os horizontes culturais dos intervenientes.

Domingos Oliveira

2020-01-14 Visita do deputado Luis Monteiro (12) 2020-01-14 Visita do deputado Luis Monteiro (9) 2020-01-14 Visita do deputado Luis Monteiro (2) 2020-01-14 Visita do deputado Luis Monteiro (1)

“Relações violentas: porquê e como resolver?”

No âmbito do Clube Europeu e da temática deste ano do Parlamento dos Jovens (Violência doméstica e no namoro: da sensibilização à ação!), a nossa Escola teve a honra de receber, no dia 10 de janeiro, a Dra. Madalena Alarcão, doutorada em Psicologia Clínica pela Universidade de Coimbra e Professora Associada na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da mesma universidade. A sessão, dinamizada pelo coordenador do CE/PJ, decorreu na Biblioteca da Escola Sede e contou com cerca de meia centena de participantes, constituída por alunos, professores, psicólogos e assistentes operacionais.

Enveredando por um diálogo permanente com os alunos, a palestrante abordou, de uma forma elucidativa, situações em que, de forma intencional, alguém tem um comportamento que provoca dano (físico e/ou psicológico) em outra pessoa, em diversos contextos e em várias relações. De uma forma ativa e participada, levou os alunos a conhecer os vários tipos de violência, nomeadamente nos contextos família, escola, trabalho e nas relações de intimidade (namoro e díade conjugal), pais-filhos, irmãos, colegas (bullying) e chefe-trabalhador, bem como a refletir sobre as suas consequências, quer para a vítima quer para o agressor. Deu, ainda, ênfase ao facto de o ciclo de violência tender a manter-se, mesmo quando as agressões são denunciadas e o agressor promete deixar de ser violento, refletindo, também sobre o porquê do comportamento violento e sobre algumas estratégias que podem ajudar a resolver o problema.

De um modo geral, a palestra prendeu a atenção dos participantes, que se revelaram particularmente atentos, interessados e interventivos. O professor organizador considera que este debate de ideias foi francamente positivo, já que permitiu alargar os horizontes culturais dos intervenientes.

Domingos Oliveira

2020-01-10 Relações violentas (13) 2020-01-10 Relações violentas (9) 2020_01_10



Notícias

                                        [...]

No passado dia 05 de março, as turmas do 9º ano, no âmbito da disciplina de História, foram visitar alguns [...]

No âmbito da disciplina de Português, em fevereiro, as turmas do 9ºano realizaram uma visita de estudo à Casa Museu [...]

  Para visualizar – Clicar nas imagens                      

Agradecimento O Agrupamento de Escolas de Infante D. Pedro agradece a toda a comunidade educativa o seu contributo no projeto [...]

  Dia dos Namorados E porque o Amor é sempre um bom motivo para celebrar, a comunidade escolar da Escola [...]

Arquivo notícias